25/07/2018 / by rafaelaritter

Reunião busca fortalecer o papel dos Engenheiros Florestais no Brasil

O CREA-BA recebe até amanhã (20) a 3ª Reunião dos Coordenadores de Câmaras Especializadas de Engenharia Florestal (CCEEF). O evento acontece no mês em que os profissionais comemoram o seu dia e reúne coordenadores e conselheiros regionais de todo o Pais. O CREA-RS está representado nesta reunião pelo Eng. Florestal Glenio Teixeira.

O encontro, que está sendo realizado em Salvador, tem o objetivo de discutir assuntos relacionados à fiscalização para manter a qualidade do exercício profissional e a troca de experiências entre os Creas, além da realização de ações conjuntas. O evento será realizado até sexta-feira (20).

Conduzido pelo coordenador José Roberto da Silva, a reunião discute entre outros assuntos, as dificuldades de fiscalização em regiões como Amazônia, criação de entidades para fortalecimento da área e tabelas de honorários.

O evento foi dividido em três momentos: nos dois primeiros dias foram apresentadas as demandas regionais, os assuntos polêmicos que ocorrem nos Creas de todo o país, problemas de fiscalização envolvendo atividade do Engenheiro Florestal, além de palestras abordando o setor florestal na Bahia e no Brasil e orientações sobre o Sistema Nacional de Controle de Produtos de Origem Florestal, entre outros temas.

O último dia do evento (20) será dedicado à elaboração de propostas baseadas nas demandas apresentadas, realizadas por grupos de trabalho formados no evento. As aprovadas serão encaminhadas para Comissão de Ética e Exercício Profissional (CEEP) do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) para serem a analisadas e deliberadas.

O presidente do Crea-BA, Engenheiro Civil Luís Edmundo Prado de Campos, deu  as boas-vindas aos Engenheiros Florestais e informou a realização de um prêmio voltado às ciências agrárias, o Landulfo Alves. “A iniciativa foi criada para incentivar a inovação e a criação de empresas”, coloca.

Outro ponto focado pelo gestor foi a questão relacionada ao agrotóxico, que ainda divide opiniões no Sistema. “Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio em relação ao uso desses produtos para que não haja briga entre as profissões e prejuízos ambientais. E necessário haver um diálogo sobre a utilização adequada e alternativas mais viáveis”, observa.

Nesta sexta (20), a pauta se voltará para a elaboração de propostas baseadas nas demandas apresentadas, realizadas por grupos de trabalhos formados ao longo do evento. As propostas aprovadas serão encaminhadas para a Comissão de Ética e Exercício Profissional (CEEP) do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) para serem analisadas e deliberadas.

Escolhida no encontro de Lideres em janeiro deste ano para sediar o evento, a Bahia ainda não possui Câmara Especializada de Engenharia Florestal. “A idéia de reunião em solo baiano motiva ainda mais os representantes de Entidades de Classe e demais profissionais a buscarem maior participação dos Engenheiros Florestais no conselho regional, com a possibilidade de criação da Câmara Especializada futuramente. Com participação e organização no conselho regional a profissão fortalece e todos se beneficiam”, conforme mencionou o conselheiro Regional representante da Bahia, Eng. Florestal Dalton Longue Júnior.

Fonte: CREA-BA

LEAVE A COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *