28/01/2019 / by Administrador

CREA e CAU RS fiscalizam em conjunto

Créditos: Arquivo CREA-RS

Nesta terça-feira (22), equipes do CREA-RS e do CAU-RS realizaram uma fiscalização conjunta no canteiro de obras onde está sendo construído o novo prédio da Fecomércio. O supervisor da Fiscalização do CREA-RS, Pedro Ost, e a agente fiscal Fernanda Delavi já haviam estado em fiscalização ao local em novembro de 2017 mas, por tratar-se de um grande empreendimento, ao longo da obra novas visitas são feitas.

De acordo com o supervisor de Fiscalização da Regional Metropolitana do CREA-RS, Pedro Ost, foram solicitados, através da entrega de Termos de Requisição de Documento e Providências, os contratos das empresas e respectivas ARTs pela fase final da obra. “Foram requisitadas as documentações relativas a instalação de elevadores, climatização, central de gás, PPCI, entre outros serviços desta etapa de finalização”, explicou. Os responsáveis têm dez dias para apresentar o solicitado.

Estavam presentes também na ação o presidente do CAU/RS, arquiteto e urbanista Tiago Holzmann da Silva; a Gerente de Fiscalização do CAU, Marina Leivas Proto; o fiscal Cássio Lorensini. A equipe foi recebida na obra pelo arquiteto e urbanista Eron Costin, responsável pelo projeto.

União de esforços na fiscalização

O projeto do Estúdio 41 foi o vencedor do concurso nacional de arquitetura realizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS) em 2011, onde foram apresentados 34 projetos. O escritório de Curitiba (PR) já tem um extenso currículo de participações e prêmios em concursos de Arquitetura e Urbanismo, consagrando-se ao vencer concursos como o da nova base brasileira na Antártida, a Estação Antártica Comandante Ferraz, e, recentemente, do Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília.

A obra se destaca pelos investimentos em tecnologia e sustentabilidade. Eron Costin comenta que o projeto busca utilizar as coberturas em terraço ajardinado ou telhas com isolamento termo-acústico com cores claras, soluções que amenizam a carga térmica sobre as superfícies horizontais, além de geradores a gás, tomadas para carros elétricos no estacionamento, coleta de água da chuva para uso na irrigação e limpeza e painéis solares fotovoltaicas. O edifício terá certificação ambiental Aqua e também está sendo estudado a possibilidade da certificação PBE-Edifica.

O projeto da nova sede da Fecomércio traz em seu princípio a qualidade de vida no ambiente de trabalho, propiciada pelo contato do ser humano com a natureza e os espaços livres. “A concepção arquitetônica leva em consideração três etapas que conformarão o aspecto final do complexo, sendo implantado num primeiro momento o edifício administrativo com aproximadamente 37 mil metros quadrados. No futuro estão previstos um Centro de Eventos do Sesc e uma universidade do Senac, somando todas as edificações um total de 150 mil metros quadrados”, comenta Eron.

A obra inicial começou em setembro de 2016 e está prevista para terminar no segundo semestre deste ano. Mais de 5 mil desenhos foram realizados para que o projeto fosse concretizado. A etapa administrativa foi concebida através da proposta de dois elementos principais. O centro de convivências (uma grande barra linear de 170 metros em estrutura metálica e vidro) que irá comportar biblioteca, espaço de exposição, lojas, creche, salas de reuniões e academia, e que terá a função de recepção e condução dos usuários até os diversos setores, contando com áreas de apoio e futuramente sendo importante elemento de conexão com as demais etapas do complexo. Já a parte administrativa contém a torre com pavimentos de planta livre e também áreas de eventos, sendo um auditório com capacidade para mil pessoas e dois restaurantes com capacidade aproximada de 300 pessoas cada. Além disso, o projeto busca esconder 600 vagas de estacionamento por taludes e espaços verdes. Foram utilizados zenitais e aberturas para ventilação e iluminação de todos os espaços, inclusive o de estacionamentos.

De acordo com Eron Costin, as técnicas construtivas foram pensadas para uma obra seca. Os sistemas estruturais são predominantemente pré-fabricados, sendo a área administrativa em pré-moldados de concreto e o centro de convivências em estrutura metálica, uma vez que possui um vão de 74 metros e um balanço de 30 metros. As fachadas são em pele de vidro, com proteção de brises e elementos de sombreamento nas piores orientações. Há também a utilização do sistema aquapanel para fechamento das empenas leste e oeste da torre administrativa e seu embasamento.

Com informações da Comunicação do CAU-RS

 

Fonte: CREA-RS.

LEAVE A COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *