17/08/2020 / by Administrador

Barragem Passo do Meio em São Francisco de Paula recebe fiscalização do CREA

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul emitiu alerta, no dia 25 de julho, após detectar uma fissura na barragem Passo do Meio, em São Francisco de Paula.

Segundo o comunicado da Empresa Energética Campos de Cima da Serra, o Nível de Segurança de Emergência estabelecido pelo Plano de Ação de Emergência (PAE) foi ativado às 00h20min no sábado, 25. O documento ainda destaca que o empreendimento está sob monitoramento contínuo e que as vazões atuais no Rio das Antas indicam que o cenário está controlado, mas é necessário estar atento para novos desenvolvimentos.

Em nota, a Energética Campos de Cima da Serra relatou que a empresa que realiza o monitoramento contínuo das estruturas detectou o aparecimento de infiltração em ponto localizado no vertedouro da usina e mobilizou imediatamente equipes com especialistas técnicos.

Em virtude a estes acontecimentos, na manhã de quarta (12), o agente fiscal Homero Lopes, acompanhado da supervisora da Fiscalização Alessandra Borges, visitou a Barragem Passo do Meio, em São Francisco de Paula, para verificar o acompanhamento dos serviços realizados na Barragem, com a presença de empresas e profissionais habilitados.

Na ocasião, a equipe requisitou a ART da empresa responsável técnica pelas detonações, o Plano de Atendimento a Emergência ( PAE), a responsabilidade pelo monitoramento da estabilidade da barragem e a manutenção das fissuras no maciço da barragem.

A Pequena Central Hidrelétrica (PCH) de Passo do Meio gera 30 Megawatts em uma barragem com 30 metros de altura e um reservatório que ocupa 186 hectares. Ela foi outorgada pela Sema em 2001 e sua Licença de Operação (LO) foi emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) em dezembro de 2019.

Nota da empresa

Os profissionais avaliam e definem as medidas corretivas para a situação, que está sob controle e monitorada. A usina continua em condições normais de operação, com medidas para reduzir o nível da barragem e a consequente pressão sobre o vertedouro. A Energética Campos de Cima da Serra segue executando as atividades do PAE em conjunto com as autoridades locais, a fim de garantir o seu cumprimento e manter os níveis de segurança nele previstos tanto para a operação quanto para a proteção das comunidades vizinhas que se encontram a cerca de 40km de distância do empreendimento.

Com informações do Jornal do Comércio